Tesouro Direto – tudo que precisa saber sobre o investimento mais seguro do Brasil

Entenda como funciona e como você pode investir no Tesouro Direto

publicidade

A poupança não é uma opção. Se você quer realmente investir, precisa conhecer o tesouro direto, todas suas vantagens e rendimentos para que o seu dinheiro trabalhe enquanto você descansa. Fique por dentro!

Durante os últimos anos o mercado de investimentos cresceu de maneira exponencial, tendo como protagonista muitas vezes o Tesouro Direto. Esse se tornou um dos recursos mais utilizados pelos investidores que iniciam sua tão sonhada carteira de investimentos.

Além de ser bem barato, o risco presente nesse investimento é bem baixo, uma vez que o órgão emissor é o governo federal. Se você acha que apenas iniciantes têm o Tesouro Direto está enganado porque essa é uma opção de diversificação em carteiras de pessoas mais experientes. Conheça tudo sobre esse investimento!

O que é Tesouro Direto? 

Esse é um programa que o Tesouro Nacional criou no ano de 2002 , com a finalidade de permitir que as pessoas físicas possam comprar papéis do governo por meio digital. 

Em outras palavras, quando você compra um título está fazendo um empréstimo ao governo.

O motivo da fama repentina desse investimento é bem fácil de entender. Isso se deu pois ele é seguro, exige baixo investimento (valores próximos de R$30,00) e oferece rendimentos diariamente em todos os papéis.

Outro ponto positivo é a acessibilidade, a venda desse título não é exclusiva do governo, você pode adquirir em bancos ou em corretoras de valores.

publicidade

 Na plataforma do oficial você tem acesso a vários investimentos para os variados perfis de investidor.

Como funciona o Tesouro Direto? 

O Tesouro Direto é um título classificado como renda fixa, isso quer dizer que você pode facilmente prever a rentabilidade que será obtida ao fim da aplicação.

Como já foi dito um pouco antes, quando você adquire títulos do Tesouro, você está emprestando o seu dinheiro para o governo federal durante um determinado tempo. 

Ao final desse período seu dinheiro volta para você somado com o juros que foi combinado no momento de aplicação.

Tipos de título 

Como em todos os outros investimentos, os títulos variam de acordo com prazo de aplicação e o nível de aplicação. Existem três classificações principais:

  • Prefixados: você sabe quanto e quando irá resgatar 
  • Pós-fixados: você sabe quando mas não sabe quanto irá resgatar
  • Híbridos: parte do dinheiro é aplicado como prefixado e outra parte como pós-fixado 

Vamos agora disponibilizar um pequena tabela que resume os títulos para facilitar o seu entendimento 

Título Retorno Rendimento  Remuneração
Tesouro Selic (LFT) Pós-Fixado  Selic + Taxa  No vencimento
Tesouro Prefixado (LTN) Prefixado Taxa No vencimento
Tesouro prefixado com juros semestrais (NTN-F) Prefixado Taxa  Semestral e no vencimento
Tesouro IPCA+ (NTN-B Principal) Híbrido IPCA + Taxa No vencimento
Tesouro IPCA+ com juros semestrais (NTN-B) Híbrido  IPCA + Taxa  Semestral e no vencimento

Como investir no tesouro direto ?

Para investir nos títulos públicos o processo é bem simples.

Em primeiro lugar você precisa escolher uma corretora de valores, após isso realize o cadastro de acordo com o que a empresa exige. 

A aprovação desse cadastro é de responsabilidade da empresa. Com isso feito, basta fazer um depósito inicial, buscar o seu título e adquiri-lo.

Ou então, entre no site do Tesouro Direto e compre o seu título. Você terá essas duas opções de processo de compra.

Preços e Taxas dos títulos 

Bom, como já dissemos antes, o investimento nesse tipo de título é bem baixo.

O mínimo necessário de investimento aqui é 0,01 de cada título que o governo emitir, ou seja, 1% do preço do papel. Contudo, o governo federal definiu que o valor mínimo na verdade deveria ser R$30,00.

Perceba que isso torna o Tesouro muito mais acessível para a grande maioria dos brasileiros. Exemplificando, um papel de R$10.000,00 pode ser vendido em pequenos lotes de R$100,00.

Quanto às taxas, o governo cobra elas de maneira inversamente proporcional ao tempo de investimento, ou seja, quanto maior o tempo de aplicação menor a taxa.

  • até 180 dias = 22,5% 
  • 181 até 360 dias = 20%
  • 361 a 720 dias = 17,5%
  • a partir de 720 dias = 15%

Qual a rentabilidade dos títulos do Tesouro Direto?

Os títulos prefixados e híbridos podem gerar um prejuízo ao investidor se ele quiser resgatar o dinheiro antes do vencimento de aplicação. Isso se deve a flutuação do valor dos papéis.

O Tesouro Selic (pós-fixado) não sofre essa marcação do mercado pois seu objetivo é o acompanhamento diário do Tesouro Direto. Dessa forma, juros altos pagam mais e juros baixos pagam menos.

Conheça todas as novidades do Real Digital!

Marina Poncio
Formada em Gestão Financeira pela UNOPAR. Atuou como gestora de grandes empresas multinacionais. Atualmente, dedica-se à produção e edição de conteúdo especializado para web.